Quadros: uma maneira prática de refrescar a decoração

A Arquiteta Arina Araújo orienta como transformar um ambiente sem transtornos.

Mudar a “cara” da sala de tempos em tempos pode ser uma boa maneira de deixar a vida no lar mais gostosa e divertida e, muitas vezes, a rotina pode ser contornada quando mudamos a decoração da living ou do quarto. “Sabe aquele jantarzinho em que queremos receber os convidados de maneira mais acolhedora, deixar a sala de jantar com ares novos, mas a data está marcada para semana que vem e não vai dar tempo de pintar ou corrigir imperfeições nas paredes?” pontua Arina Araújo e ainda arremata: “a solução pode vir dos quadros, que são coringas por quebrarem a monotonia, trazerem cor, vibração, textura além de dialogarem com a mobília”.

arina araujo arquiteta projeto

A primeira coisa que precisamos olhar são as cores predominantes e aqui temos tons quentes de rosa, pontuados pelo contraste do preto e branco sobre uma base neutra de cinza e areia. O segundo item é a proporção da área do ambiente em relação às paredes disponíveis e a disposição dos móveis e objetos. Devemos harmonizar os quadros dentro deste contexto e percebendo o estilo, neste caso, o living é contemporâneo.

O grande quadro da esquerda, disposto na horizontal, é composto de fotografia preto e branco leva moldura na mesma cor, estabelecendo um link com as cúpulas dos abajures, mesas laterais e poltronas pretas. O quadro sequencial, colorido, de paspatur e moldura brancos, tem a mesma altura do anterior e estão alinhados, mas este último reforça sua verticalidade com um retângulo vermelho que dialoga com o grande tapete, almofadas e mesa redonda avermelhados. Logo em seguida, uma dupla de quadros horizontais de base branca (paspatur e moldura) com foto preto e branco delimitam visualmente a a área da largura do sofá de três lugares e em perspectiva, fazem par com a dupla de mesas brancas, em um conceito de similaridade. O último quadro da direita, novamente na vertical, traz para perto de si as poltronas brancas que estão à sua frente e suas cores formam um ponto de contraste com o azul e um ponto de equilíbrio com o preto e tons neutros. Os objetos seguem as mesmas cores dos quadros, em uma relação de contiguidade.

arina araujo arquiteta
Nesta sala de jantar Os quadros são bem neutros. As molduras finas em tom preto contrastam com o o tema branco e preto das telas, que são muito parecidas, mas não idênticas, novamente aqui a similaridade conceitual acontece. O grande momento do décor é a temática das pinturas nas telas se conectando com o piso de mármore.

arina araujo arquitetaAs poltronas vermelhas deste canto são a primeira coisa que salta aos olhos. O vermelho é uma cor de personalidade que deve ser usada com parcimônia e Arina Araújo soube tranquilizar a alta vibração deste tom com uma parede branca e tapete neutro. O quadro em questão é bem interessante, apesar de ser de grandes dimensões, consegue ser neutro como o tapete, claro como a parede e cria uma equação de pertinência com o vermelho e os objetos dispostos sobre as arandelas de acrílico branco que servem como prateleiras.